www.laerciobeckhauser.com http://br.youtube.com/labeckhauser

LAÉRCIO  BECKHAUSER =  LBW +  Cosmos Brasil World

"Conhecimento é poder"  - Leia os textos! - LBW =  Beckhauser agradece!!!

(Lalá do Brasil) Labeck = LBW
Textos



image.php?userid=20405&imageid=846541.jpg&maxw=400&maxh=533&bgcolor=transparent
06/02/2013 09h51
Língua Materna...

 

Ah! Língua materna, ...

 

Ah! Minha e nossa Língua Portuguesa.

 

Nela aprendemos a suplicar carinhos

 

maternos e fraternais. Nela aprendemos a expressar


nossos 
desejos e nossos anseios.

 

Nela consolidamos a nossa forma de pensar e agir,


dando 
explicações comportamentais.

 

Língua de nossos ancestrais, se atualizada e se

 

compreendida em sua integralidade poderemos e

 

podemos  usá-la para nossa vivência diária e harmonia

 

cósmica que muitos chamam de FELICIDADE.

 

image.php?userid=20405&imageid=846542.jpg&maxw=520&maxh=1024

 

Nosso idioma, é lindamente chamado de


"A
Última  Flor do Lácio",

 

local donde surgiu o latim, um cantinho da


Europa, a 
terra dos portugueses,

 

cuja versão mais vulgar contribuiu



substancialmente

 

para gerar a fala lusitana,

 

agregando outras existentes, na região que veio


a ser 
Portugal.

image.php?userid=20405&imageid=846541.jpg&maxw=520&maxh=1024

 

 

Língua portuguesa

Olavo Bilac


Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela...

Amo-te assim, desconhecida e obscura.
Tuba de alto clangor, lira singela,
Que tens o trom e o silvo da procela,
E o arrolo da saudade e da ternura!

Amo o teu viço agreste e o teu aroma
De virgens selvas e de oceano largo!
Amo-te, ó rude e doloroso idioma,

em que da voz materna ouvi: "meu filho!",
E em que Camões chorou, no exílio amargo,
O gênio sem ventura e o amor sem brilho!


Olavo Bilac, além de poeta parnasiano, cronista, contista, conferencista e autor de livros didáticos, deixou também na imprensa do tempo do Império e dos primeiros anos da República vasta colaboração humorística e satírica, assinada com os mais variados pseudônimos, entre os quais os de Fantásio, Puck, Flamínio, Belial, Tartarin-Le Songeur, Otávio Vilar, etc., assinando, em outras vezes, o seu próprio nome. Nascido no Rio de Janeiro a 16 de dezembro de 1865, foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, em que ocupou a cadeira nº. 15, que tem Gonçalves Dias por patrono. No seu principal livro, "Poesias", incluiu Bilac alguns sonetos satíricos , sob o título de "Os Monstros". Escreveu livros em colaboração com Coelho Neto, Manuel Bonfim e Guimarães Passos, sendo que, com este último, o volume intitulado "Pimentões", de versos humorísticos.

 

...

Comentários:

 

  • Um verdadeiro hino à língua portuguesa, esta poesia de Olavo Bilac.

    Tem na sua herança o latim e toda a sua riqueza prosaica e lírica da antiguidade, bem como o
     
    passado desbravador dos mares em busca de novas terras e a ousadia de enfrentar perigos
     
    marítimos. Ainda trás consigo a descoberta de maravilhas exóticas em terras de beleza
     
    deslumbrante, ricas, verdes, aprazíveis.

    Tudo isso é a composição da língua portuguesa.
     
    Ela é o seu povo, a história desse povo, a evolução e mudança desse povo, as aventuras e
     
    desventuras dele. Ela é a pátria desse povo. Ela é Portugal, Brasil, Angola, etc... e todos
     
    aqueles que dominam e falam fluentemente esta língua.
     
  •  
     
    Nosso idioma, é lindamente chamado de "A Última Flor do Lácio", local donde surgiu o latim,
     
    um cantinho da Europa, a terra dos portugueses, cuja versão mais vulgar contribuiu
     
    substancialmente para gerar a fala lusitana, agregando outras existentes,
     
    na região que veio a ser Portugal.

 


Publicado por Beckhauser em 06/02/2013 às 09h51

Beckhauser
Enviado por Beckhauser em 06/02/2013
Alterado em 06/02/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.laerciobeckhauser.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
www.laerciobeckhauser.com (Lalá do Brasil) = LBW Labeck